>

minha nóia | ser gorda




Bruno diz:
   *oi
Ana Meira. diz:
   *Oi Bruneeenho x3
Bruno diz:
  *novas
  *como estas?
Ana Meira. diz:
  *Estou-me bem e você?
Bruno diz:
   *tbm
   *conta alguma coisa interessante
Ana Meira. diz:
  *hahaha
  *Tô com a sempre culpa de ter comido muito. Isso não é interessante, mas é algo que estou sentindo agora. Queria ser magra.
Bruno diz:
  *vixe... deixa eu te manda um texto
  *pera, vou scaniar


____________________________________________________
Menina_bonita: Eu sou bulímica.
Anônimo_Incógnito: Legal...
Menina_bonita: ?
Anônimo_Incógnito: Eu ainda não me formei, mas meu pai queria que eu fosse engenheiro...
Menina_bonita: ...
Anônimo_Incógnito: ...?
Menina_bonita: Bulimia é quando a pessoa se culpa por achar que comeu em excesso, e vomita pra compensar... Pra se manter magra e bonita...
Anônimo_Incógnito: Ah...
Menina_bonita: ...
Anônimo_Incógnito: Mas... você não pode morrer com isso...?
Menina_bonita: Posso. Mas posso também ser recompensada pela sociedade.
Anônimo_Incógnito: ...
Menina_bonita: ...
Anônimo_Incógnito: Você não poderia tentar mudar a sociedade?
Menina_bonita: Poderia.
Anônimo_Incógnito: ...
Menina_bonita: Mas antes, eu preciso de uma cintura fina pra chamar a atenção dela.
Anônimo_Incógnito: ...

Sabendo de tudo isso, ele soube mais...

Soube ser o melhor que poderia ser, sendo o que é. Ou se propôs a buscar saber. É quase certo que isto se inclua naquilo.

E soube que isso não se mede pelo reconhecimento do mundo. Na grande maioria das vezes, o mundo não procura o melhor de você. Passaria despercebido. Assim como o melhor do mundo passa por você, quase todos os dias. E nos dias que você o percebe, provavelmente estava pensando naquilo que gostaria que o mundo percebesse em você.

É uma coisa imutável e ele soube não se culpar pelas coisas imutáveis. As coisas imutáveis, ora, não mudam. Procurou, então, pelas mutáveis. Não encontrou.

Escondiam-se, ou seriam imutáveis todas as coisas?

Ele não sabia, pois soube que ainda há coisas que não há como saber.

Não sabendo, pôs-se a divagar... E divagou que as coisas imutáveis devam ser um punhado de coisas mutáveis... Um bom punhado. Incontáveis. E fez-se um bolo tão denso disso tudo, que deram como se fosse uma coisa só. Uma gigantesca coisa só. E as gigantescas coisas sempre dão essa impressão de que ali sempre estiveram. Que ali sempre estarão.

Há uma verdade movendo o mundo. A verdade é uma dessas coisas imutáveis. E a verdade de hoje é o belo. De hoje e todos os dias anteriores que testemunhou. Que testemunhei. Gigantescamente imutável.

A verdade do mundo é o belo, e não se pode correspondê-la a altura. Ou se é belo, ou não é. E se você deixar de ser um para ser outro, outro você já será.

A verdade de hoje é Júlia Angel. Júlia é indecentemente bela, não se culpe por amá-la. E que ela não te culpe por deixar de amá-la amanhã. Júlia é atriz, é modelo, é capa de revista, é celebridade... caso você não saiba. Caso tenha nascido amanhã. A beleza é eterna; Júlia, não. Por isso a verdade muda de nome, todos os dias. Muda para não mudar.

Júlia muda.

Quem?!

Já é amanhã...

Amo o belo, mesmo só belo, mesmo belo e só. Amor incondicional, não se culpa. Não me culpo. Não se culpe, nem deixe de amar. Só procure algo para se amar mais.

A verdade é o gozo, ou é a dor.

E inevitavelmente optam pelo gozo, acreditando que isso é a negação do outro. E gozam ininterruptamente. Gozam o gozo, gozam a dor, gozam já sem gozar. Pensam ter se perdido do gozo, e somente a ele voltam a buscar.

Feche os olhos.

Saiba o que ele soube...

O melhor que você pode ser, é não ser a dor. Dor que já há, sempre houve... e não se foge, e não se elimina. Só não seja mais dor. E vá contra a dor. Sua e de qualquer outro.

E se puder gozar com isso...

Inevitavelmente há o cheiro é de enxofre, mas o gosto pode ser de caramelo.

Ele sabia. Por isso me esperava, dez estações adiante àquela em que desembarcou.

Ainda era tudo a janela de um trem...
Anônimo_Incógnito: Legal...Menina_bonita: ?Anônimo_Incógnito: Eu ainda não me formei, mas meu pai queria que eu fosse engenheiro...Menina_bonita: ...Anônimo_Incógnito: ...?Menina_bonita: Bulimia é quando a pessoa se culpa por achar que comeu em excesso, e vomita pra compensar... Pra se manter magra e bonita...Anônimo_Incógnito: Ah...Menina_bonita: ...Anônimo_Incógnito: Mas... você não pode morrer com isso...?Menina_bonita: Posso. Mas posso também ser recompensada pela sociedade.Anônimo_Incógnito: ...Menina_bonita: ...Anônimo_Incógnito: Você não poderia tentar mudar a sociedade?Menina_bonita: Poderia.
Anônimo_Incógnito: ...Menina_bonita: Mas antes, eu preciso de uma cintura fina pra chamar a atenção dela.Anônimo_Incógnito: ...
Sabendo de tudo isso, ele soube mais...
Soube ser o melhor que poderia ser, sendo o que é. Ou se propôs a buscar saber. É quase certo que isto se inclua naquilo.

E soube que isso não se mede pelo reconhecimento do mundo. Na grande maioria das vezes, o mundo não procura o melhor de você. Passaria despercebido. Assim como o melhor do mundo passa por você, quase todos os dias. E nos dias que você o percebe, provavelmente estava pensando naquilo que gostaria que o mundo percebesse em você.

É uma coisa imutável e ele soube não se culpar pelas coisas imutáveis. As coisas imutáveis, ora, não mudam. Procurou, então, pelas mutáveis. Não encontrou.

Escondiam-se, ou seriam imutáveis todas as coisas?
Ele não sabia, pois soube que ainda há coisas que não há como saber.

Não sabendo, pôs-se a divagar... E divagou que as coisas imutáveis devam ser um punhado de coisas mutáveis... Um bom punhado. Incontáveis. E fez-se um bolo tão denso disso tudo, que deram como se fosse uma coisa só. Uma gigantesca coisa só. E as gigantescas coisas sempre dão essa impressão de que ali sempre estiveram. Que ali sempre estarão.
Há uma verdade movendo o mundo. A verdade é uma dessas coisas imutáveis. E a verdade de hoje é o belo. De hoje e todos os dias anteriores que testemunhou. Que testemunhei. Gigantescamente imutável.

A verdade do mundo é o belo, e não se pode correspondê-la a altura. Ou se é belo, ou não é. E se você deixar de ser um para ser outro, outro você já será.

A verdade de hoje é Júlia Angel. Júlia é indecentemente bela, não se culpe por amá-la. E que ela não te culpe por deixar de amá-la amanhã. Júlia é atriz, é modelo, é capa de revista, é celebridade... caso você não saiba. Caso tenha nascido amanhã. A beleza é eterna; Júlia, não. Por isso a verdade muda de nome, todos os dias. Muda para não mudar.

Júlia muda.

Quem?!
Já é amanhã...
Amo o belo, mesmo só belo, mesmo belo e só. Amor incondicional, não se culpa. Não me culpo. Não se culpe, nem deixe de amar. Só procure algo para se amar mais.
A verdade é o gozo, ou é a dor.
E inevitavelmente optam pelo gozo, acreditando que isso é a negação do outro. E gozam ininterruptamente. Gozam o gozo, gozam a dor, gozam já sem gozar. Pensam ter se perdido do gozo, e somente a ele voltam a buscar.
Feche os olhos.
Saiba o que ele soube...
O melhor que você pode ser, é não ser a dor. Dor que já há, sempre houve... e não se foge, e não se elimina. Só não seja mais dor. E vá contra a dor. Sua e de qualquer outro.

E se puder gozar com isso...
Inevitavelmente há o cheiro é de enxofre, mas o gosto pode ser de caramelo.
Ele sabia. Por isso me esperava, dez estações adiante àquela em que desembarcou.
Ainda era tudo a janela de um trem...
_________________________________________________

Bruno diz:

  *Isso são coisas que a TV colocou na sua cabeça


Comentários
1 Comentários

1 comentários:

MieL disse...

Isso mesmo.

Postar um comentário

Prometo que te respondo, tá? ;}